quarta-feira, maio 27, 2015

Luiz Gonzaga - Riacho do navio (1955)




Riacho do Navio
Corre pro Pajeú
O rio Pajeú vai despejar
No São Francisco
O rio São Francisco
Vai bater no "mei" do mar
O rio São Francisco
Vai bater no "mei" do mar
(Bis)
Ah! se eu fosse um peixe
Ao contrário do rio
Nadava contra as águas
E nesse desafio
Saía lá do mar pro
Riacho do Navio
Eu ia direitinho pro
Riacho do Navio
Pra ver o meu brejinho
Fazer umas caçada
Ver as "pegá" de boi
Andar nas vaquejada
Dormir ao som do chocalho
E acordar com a passarada
Sem rádio e nem notícia
Das terra civilizada
Sem rádio e nem notícia
Das Terra civilizada.

domingo, maio 24, 2015

Nunca mais uma anjinha

Vou ser feliz com as diabinhas!



Belo cartoon, que eu peguei neste site. O nome (nick) do autor parece que é Gamm. Isso não importa, o que importa é que as diabinhas estão vindo.

domingo, maio 17, 2015

Papa Sammy spanking Bobby



Não sei quem é Papa Sammy nem Bobby. Imagino que sejam personagens conhecidos no Show Business americano. Mas é um bom cartoon, de qualquer forma. Peguei nesse blog.

domingo, maio 10, 2015

domingo, maio 03, 2015

Pena que não seja de mão e no bumbum pelado


Para esse cartoon ser perfeito, só faltou a moça com o bumbum de fora e o spanker surrar ela com a mão. No resto, está ótimo: é muito bem desenhado, a moça parece uma menina bem sapeca e o cara parece um bandidão sedutor e musculoso.

Veio deste site/blog.

domingo, abril 26, 2015

Wesker castiga Excella


Wesker e Excella são personagens de Resident Evil, um tipo de game-gibi. São vilões, parece. Uma estranha mistura de nerds, mafiosos e seriais killers. Parece que Wesker mata Excella. Bem que ele poderia se contentar em dá muitas palmadas nela de vez em quando...

Pela expressão, a Excella não parece está achando as palmadas tão ruins assim...

Tirei o cartoon deste site.

sábado, abril 25, 2015

Chico Buarque - Tanto Mar (hoje, 25 de abril, aniversário da Revolução dos Cravos)



Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente.
E ainda guardo, renitente
Um velho cravo para mim.
Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente em algum
Canto de jardim.
Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar.
Canta a primavera pá
Cá estou carente
Manda novamente algum cheirinho
De alecrim!